POR QUE É IMPORTANTE QUE SEU ASSESSOR DE IMPRENSA ACOMPANHE SEUS PASSOS?

seguir-crisis

*Por Juliana Gusmão

Acredito que a maioria de vocês já escutou a seguinte frase “irei te acompanhar nesse almoço de relacionamento”. Esse hábito é muito comum entre as assessorias de imprensa e os clientes. Porém, alguns deles não curtem serem acompanhados pelo seu assessor – o motivo, não sabemos. A verdade é que isso é recorrente no nosso dia a dia, mas também muito importante para o desenvolvimento de novas atividades de PR.

Alguns clientes, principalmente os que iniciaram no mercado recentemente, até entendem sobre a importância da presença do seu assessor em todos os lugares, seja em evento, café de relacionamento, entrevista, entre outros. Acredito que isso aconteça por causa da falta de familiaridade com as ações de PR. Ou seja, a presença do assessor causa uma segurança nas atividades desenvolvidas. Por outro lado, os clientes mais experientes se irritam um pouco, pois acreditam que já conhecem “o caminho das pedras” e podem conduzir um bate-papo com o jornalista tranquilamente.

Concordo que alguns clientes, aqueles mais “maduros”, podem sim conduzir uma entrevista sozinhos, mas acredito que seja importante a presença do assessor e vou explicar porque. Quando realizamos uma imersão, o cliente explica como funciona a empresa, quais são as palavras-chaves, seu público-alvo e qual direcionamento deseja seguir. Porém, quando acompanhamos um encontro ou uma entrevista, conseguimos captar informações que antes não sabíamos, ou entender qual o pitch de cada cliente. Dessa forma, fica mais fácil e claro para nós, na hora de desenvolver uma pauta, ou escrever um novo material.

Portanto, fica a dica! Quando seu assessor falar que vai te acompanhar não fique bravo e entenda que é uma praxe de trabalho. Um encontro pode ser muito produtivo e seu assessor pode aproveitar para ter novas ideias, parcerias, estratégias e pautas. Lembre-se: assessoria de imprensa e cliente devem sempre andar juntos, criando e alinhando as melhores estratégias para cada canal e aproveitando todas as oportunidades que encontros proporcionam.

*Juliana Gusmão é jornalista formada desde 2012 pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, com Pós-Graduação em Marketing e Comunicação Publicitária pela Faculdade Cásper Líbero. Com 3 anos de experiência em Assessoria de Imprensa, já atuou na comunicação de empresas de diversos segmentos e atualmente é Coordenadora de Comunicação na PiaR Comunicação.

JORNALISTAS…COMO VIVEM, O QUE COMEM? – PARTE III…E FINAL

images

*Por Renniê Paro

Por fim, chegamos a parte derradeira de nossa série para que vocês possam entender melhor a vida dos jornalistas. De tudo que falamos até aqui, a parte mais importante é: fale sobre coisas interessantes. Ainda segundo o site Medium, o grande desafio dos profissionais de comunicação é conseguir dados. E sabe porquê? Porque 71% das empresas simplesmente querem falar só “daquilo que ELAS querem falar” e não abrem as informações que os jornalistas precisam para contextualizar suas matérias.

Entendemos perfeitamente que alguns dados não podem ser abertos para jornalistas – e muito menos para o público final -, mas é preciso entender também que sem dados consistentes a chance de sua pauta não entrar no veículo cresce consideravelmente (daí a insistência de sua equipe de PR para que possamos passar pelo menos algum número relevante).

Ah, um outro ponto importante: evite pedir divulgações de novidades às quintas ou sextas. Isso porque esses são dias em que muitas redações estão em fechamento e se seu assessor ligar, o jornalista (que está na maior correria) poderá não atender, ou pior, bloquear sua comunicação para não ser mais “importunado” por sua marca – e isso não queremos, não é mesmo?

Para finalizarmos, vale estudar e entender o formato que os jornalistas (imagens, tópicos, infográficos, etc). Dessa forma sua comunicação se tornará mais efetiva e com a possibilidade de resultados mais interessantes para sua empresa.

*Renniê Paro é jornalista formada desde 2008 na Universidade Paulista, com pós graduação em Comunicação Organizacional na FMU. Com 10 anos de experiência em Assessoria de Imprensa, já atuou na comunicação de empresas de diversos segmentos e atualmente é Gerente de Comunicação na PiaR Comunicação.

SAC 3.0 – SUA EQUIPE ESTÁ PREPARADA?

divulgue-seu-consultorio-de-odontologia-

*Por Gabrielle Ramos

As redes sociais dominaram o mundo. Hoje em dia grande parte da comunicação da população se concentra toda em algum canal conectado à internet – não acredito que as redes deram voz ao povo, na verdade as pessoas já tinham voz ativa, mas o que a internet fez foi criar mais agilidade em um atendimento que tempos atrás era muito mais lento.

Quando falamos em SAC 3.0, pensamos em um atendimento rápido e eficiente, mas a questão é: sua equipe está devidamente preparada para fazer esse tipo de atendimento? Vamos destacar alguns pontos importantes para você pensar nessa questão:

  • Monitoramento: é imprescindível que sua equipe esteja atenta a tudo o que estão falando sobre sua marca. Classificar os comentários como positivos, negativos e neutros é de extrema importância também para definir qual o sentimento dos usuários e então trabalhar nessas informações para que elas sejam utilizadas a favor de sua empresa, mantendo seu cliente sempre satisfeito.

  • Alinhamento: para que o atendimento seja bem feito, seus operadores precisam estar totalmente alinhados com os valores da empresa para que não haja nenhum tipo de ruído na comunicação. Quando o atendimento não souber ou não tiver certeza da resposta, é importante que ele encaminhe para área responsável para avaliação antes de enviar ao cliente. Ter uma equipe especializada e consciente do papel que desempenha dentro das redes sociais é garantia de eficiência e a agilidade.

 

  • Metas e prazos: sim, é necessário ter metas e prazos para o SAC também. Quanto mais rápido você conseguir solucionar o problema ou tirar a dúvida de seu cliente, melhor avaliado será o seu serviço. É importante também fazer um acompanhamento do pós-contato para ter a certeza de que sua resposta foi realmente eficiente.

 

Quando você realiza um bom atendimento nas redes sociais, geralmente isso traz um retorno muito positivo para sua marca. Mas tome muito cuidado – caso o atendimento seja demorado ou ruim, isso pode ser um tiro no pé de sua empresa.

*Gabrielle Ramos é jornalista formada desde 2012 na Universidade Nove de Julho, com especialização em Marketing Digital pela E-commerce School e Mídias Sociais pelo Centro Universitário Belas Artes de São Paulo. Com 08 anos de experiência em Assessoria de Imprensa, já atuou na comunicação de empresas de diversos segmentos e atualmente é responsável por Planejamentos Estratégicos e Mídias Sociais na PiaR Comunicação.

ASSESSORIA DE IMPRENSA E REDES SOCIAIS – UMA UNIÃO DE SUCESSO

People communication vector

*Por Juliana Gusmão

Entre as inúmeras transformações que a assessoria de imprensa enfrentou com as inovações tecnológicas, uma das mais marcantes, aconteceu com o surgimento das redes sociais. Com o crescimento de tantas novidades, as pessoas passaram a consumir conteúdo também pelas plataformas interativas. Por isso, surgiu a necessidade do assessor entender esse contexto, gerar e gerenciar conteúdo web, com o propósito de criar estratégias que ajudassem os clientes a impactar seu público também nas redes sociais.

Para fazer um contexto geral, hoje, o papel da assessoria de imprensa vai muito além do que apenas escrever releases, sugestões de pautas e artigos. A nossa visão tem que ser cada vez mais abrangente, atender e amparar todos os clientes, fazendo uso dos principais meios de comunicação para alavancar suas publicações e atingir seu objetivo final, ou seja, impactar seu público-alvo.

É importante entender que a construção da imagem vai além do conteúdo publicado nas revistas, jornais e TV’s. É preciso integrar as diferentes mídias e desenvolver uma única imagem a ser passada em todos os meios. Afinal, hoje o público está cada vez mais conectado e ligado a tudo que acontece com a marca/empresa, não importa em qual canal de comunicação.

Os 140 caracteres do twitter, por exemplo não são capazes de definir uma empresa, porém ajudam uma marca a participar ativamente no dia a dia do consumidor. A matéria publicada em um jornal impresso pode não ter espaço para a interação com o público, mas ganha essa opção na página do Facebook. A integração da assessoria com as redes sociais, se feita da forma correta, pode ser uma união de sucesso e um diferencial necessário para alcançar efetividade na comunicação.

Com todas as mudanças no setor, algumas assessorias adotaram como estratégia pulverizar as redes sociais para ter um alcance maior na divulgação. Por exemplo, nós da PiaR, costumamos sempre publicar em nosso Facebook as principais matérias dos nossos clientes. Dessa forma, além de impactar diversos públicos com a notícia publicada, quando colocamos na rede social damos a oportunidade do assunto ser compartilhado e curtido por diversas pessoas, aumentando assim, o alcance e o número de visualizações.

Para finalizar, deixo aqui um ponto importante. Quando tiver uma notícia exclusiva (lançamentos, aportes, parcerias, entre outros) que tem o potencial de “bombar” na mídia, segure a ansiedade e converse com sua assessoria de imprensa antes de pulverizar nas redes sociais. Uma vez publicada nesse canal, os grandes veículos deixam de ter interesse no material por não ser mais exclusivo. Portanto, lembre-se: assessoria de imprensa e rede social devem sempre andar juntos, criando e alinhando as melhores estratégias para cada canal.

*Juliana Gusmão é jornalista formada desde 2012 pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, com Pós-Graduação em Marketing e Comunicação Publicitária pela Faculdade Cásper Líbero. Com 3 anos de experiência em Assessoria de Imprensa, já atuou na comunicação de empresas de diversos segmentos e atualmente é Coordenadora de Comunicação na PiaR Comunicação.

 

JORNALISTAS…COMO VIVEM, O QUE COMEM? – PARTE II

Como-Ganhar-Dinheiro-Escrevendo-Artigos

*Por Renniê Paro

Como disse em meu último post, iremos falar um pouco mais sobre o comportamento dos jornalistas e o quanto podemos ajuda-los, de forma assertiva, conhecendo melhor seu dia a dia.

Acredito que todos vocês já ouviram, em algum momento, que o release (uma das ferramentas que usamos para divulgar sua marca na mídia) irá morrer. Não acredito que isso é verdade, mas há sim uma modificação de formato de trabalho dos assessores. Para se ter uma ideia, apenas 15% dos jornalistas usam os releases como base de suas matérias. Daí a nossa pentelhação para trabalharmos com Sugestões de Pauta.

Segundo o site Medium.com, 29.33% acompanham influenciadores. 28% possuem canais já estabelecidos com fontes; 16.44% montam matérias com base em experiências pessoais ou de pessoas próximas; 6.22% usam informações de newsletters e 4.89% se informam por meio de listas de e-mails e fóruns. O que esses números significam? Que podemos (devemos) apostar em conteúdos relevantes para nos tornamos parte dos 28% considerados fontes confiáveis.

Outro fato interessante de compartilhar com vocês é que o e-mail é sim a fonte preferida pelos jornalistas (80%) para receber sugestões de pautas e informações sobre empresas. Ainda falando sobre preferências, 49% gostam de sites onde possam encontrar dados (como sala de imprensa); 40% usam postagens em facebook e twitter e 31% gostam de ser pautados diretamente por telefone. O WhatsApp, uma das formas mais corriqueiras de comunicação atuais, fica com apenas 17% da preferência, ou seja, melhor nem tentar vender pauta por este canal.

A receita que pode surtir efeitos positivos para que sua marca passe a se tornar referência para um jornalista pode ser criar um espaço dedicado a ele em seu site, como Sala de Imprensa (com releases oficiais, dados de mercado,  fotos oficiais) e montar releases com informações originais e relevantes, enviando sempre por e-mail.

Terminamos aqui? Não…como disse, a história de como entender a vida dos jornalistas é longa e deve ser bem aproveitada. Só assim conseguiremos criar laços de confiança e reciprocidade entre sua marca e as mídias que abordam o mercado em que atua.

Nos vemos no próximo post.

*Renniê Paro é jornalista formada desde 2008 na Universidade Paulista, com pós graduação em Comunicação Organizacional na FMU. Com 10 anos de experiência em Assessoria de Imprensa, já atuou na comunicação de empresas de diversos segmentos e atualmente é Gerente de Comunicação na PiaR Comunicação.