VAMOS BOMBARDEAR OS USUÁRIOS DA NOSSA PÁGINA?” É… NÃO!

ilust-reclamar

*Por Gabrielle Ramos

Primeiramente, vamos deixar uma coisa clara nesse texto: nada do que escrevemos ou recomendamos aqui, é necessariamente uma regra. Quando o assunto é sobre redes sociais, não há nada que seja engessado e que você não possa adaptar da melhor maneira para atender as necessidades de seus canais.

Vamos falar sobre a frequência de conteúdo? O que acontece com muitas empresas que dão start em suas redes sociais é que os resultados são geralmente mais rápidos que qualquer outra ferramenta. Isso ‘empolga’ em uma primeira impressão e aí os donos das empresas querem fazer milhões de posts e atingir seus seguidores a qualquer custo. O problema é que, como diria meu pai, tudo que é em excesso é ruim. Com as redes sociais não é diferente. No começo seus seguidores podem até gostar e curtir seus materiais, mas com o passar do tempo, acaba ficando maçante.

“Ah mas nós só postamos conteúdos relevantes” ou “Nós selecionamos nosso público e só quem tem interesse vai ser atingido” – Tudo bem, seu conteúdo pode ser o mais relevante e você pode selecionar o quanto quiser seu público – pense que uma das ideias dessas redes é ser rápido e ágil. Dependendo do que você postar, pode passar batido ou até mesmo ser ignorado por desinteresse ou até mesmo por falta de tempo. E quanto mais você posta, mais chances de passar batido. Quando você espaça seus materiais, você cria o interesse do público em voltar ali para acompanhar as novidades.

Outro ponto importante que precisa ser estudado com cuidado é que, se seu negócio tem um público muito específico, por meio de planejamento e estudos, você consegue saber o horário e qual melhor dia da semana para fazer suas postagens. Ou seja, o que realmente importa nesse universo online, não é a quantidade de coisas que você divulga e sim a qualidade e se isso está atingindo o público certo.

Lembrando que, como dissemos acima, isso não é uma regra e é claro, cada caso é um caso – aqui, estamos focando em PME’s e Startups, que produzem conteúdo para redes sociais. Cabe a você e sua equipe de mídias sociais planejarem a melhor estratégia para o seu negócio.

*Gabrielle Ramos é jornalista formada desde 2012 na Universidade Nove de Julho, com especialização em Marketing Digital pela E-commerce School e Mídias Sociais pelo Centro Universitário Belas Artes de São Paulo. Com 08 anos de experiência em Assessoria de Imprensa, já atuou na comunicação de empresas de diversos segmentos e atualmente é Coordenadora de Planejamentos Estratégicos e Mídias Sociais na PiaR Comunicação.

 

POR QUE O CLIENTE PRECISA ESTAR PRESENTE NO DIA A DIA?

download

*Por Juliana Gusmão

A resposta para a pergunta acima é muito simples, porque nós assessores precisamos de insumos para deixar a empresa sempre em evidência nas mídias. Sem o OK final de vocês, nenhum material é divulgado para a imprensa. O que eu quero dizer é que além dos materiais comuns que acostumamos trabalhar, as sugestões de pauta têm dado muito certo e para isso, dados, pesquisas, novidades, entre outras informações, são importantes para que possamos pensar fora da caixa e oferecer novas sugestões e ideias para os veículos.

Percebo que muitos clientes não entendem o fato da agência de PR ficar sempre “em cima” pedindo novas informações, mas digo, isso é muito importante e enriquece o nosso trabalho. Temos histórias de clientes que sumiram durante um ou dois meses e tivemos que nos virar nos “30” para conseguir emplacar algo bacana.

Participar do dia a dia da sua assessoria de imprensa pode ser mais produtivo do que você imagina. Afinal, a expertise do trabalho da imprensa está conosco, mas os dados e informações relevantes, são vocês clientes que poderão nos ajudar. Fora que a rotina fica muito mais organizada e a dinâmica de trabalho melhora 100% quando o cliente está envolvido nas ações de PR.

Por isso, vamos unir forças para que o trabalho seja eficaz e traga um resultado satisfatório para ambas as partes. Dessa forma, conseguimos cavar oportunidades importantes, o cliente fica sempre em evidência e nada fica perdido ou pendente. E aí, vamos nessa?

*Juliana Gusmão é jornalista formada desde 2012 pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, com Pós-Graduação em Marketing e Comunicação Publicitária pela Faculdade Cásper Líbero. Com 5 anos de experiência em Assessoria de Imprensa, já atuou na comunicação de empresas de diversos segmentos e atualmente é Coordenadora de Comunicação na PiaR Comunicação.

 

O futuro das assessorias em uma época de redações enxutas

Futuro-Foto-Pixabay

*Por Renniê Paro

Segundo um estudo realizado pelo portal Comunique-se, com base nos arquivos da plataforma e site Volt Data Lab, em 2016, mais de 500 profissionais de imprensa foram demitidos. Essas demissões foram realizadas muito por conta do encerramento de atividades de veículos e em diferentes estados.

O site Fato Online (Brasília), Jornal da Paraíba (Paraíba), Jornal Hoje em Dia (Minas Gerais) e o Jornal de Brasília (Brasília) são apenas alguns exemplos de veículos que deixaram de existir. Com essas demissões em massa e as redações mais enxutas, a pergunta que fica é: como será o futuro das assessorias de imprensa?

Em uma época de inteligência artificial e máquinas que são verdadeiras “caça-cliques” é preciso que as assessorias se adaptem (se não quiserem morrer). Acredito que muito mais que releases, pautas e encontros de relacionamento, nosso papel como assessores será de especialistas em Business Intelligence e Big Data, cruzando dados de perfis dos veículos com seus jornalistas e nossos clientes.

Tarefa fácil?! Nem um pouco!

Mas o ideal é que, já que não podemos ir contra a evolução da tecnologia, que a usemos a nosso favor! Por quê não criar softwares que nos ajudem a levantar esses perfis e cruzar dados? Dessa forma, todos saem ganhando =)

*Renniê Paro é jornalista formada desde 2008 na Universidade Paulista, com pós graduação em Comunicação Organizacional na FMU. Com 10 anos de experiência em Assessoria de Imprensa, já atuou na comunicação de empresas de diversos segmentos e atualmente é Gerente de Comunicação na PiaR Comunicação.

Conheça as 5 maiores redes sociais e entenda como explorar cada uma delas em seu negócio

mkt-social

*Por Gabrielle Ramos

Existem milhares de redes sociais no mundo – milhares MESMO. E você pode usar qualquer uma que quiser, porém, existem cinco delas que são as mais usadas pelas empresas e que têm alavancado o mercado. São elas: Facebook, Instagram, LinkedIn, Twitter e Google +. Mas, antes de ingressar em qualquer uma delas, você precisa analisar alguns pontos específicos como: qual delas seu público-alvo está concentrado, conteúdo relevante para a rede escolhida, se os valores da mídia são condizentes com os da sua empresa e, por fim, se você está preparado para encarar uma possível demanda que o canal irá te trazer.

Feito isso, vamos analisar uma a uma aqui para que você entenda melhor e saiba como explorar cada uma delas de maneira eficiente:

  • Facebook: é a rede mais utilizada no mundo e os brasileiros ocupam a quinta posição no ranking com mais usuários ativos na rede, ou seja, o Face é um celeiro de possíveis clientes/consumidores que você pode alcançar. Além disso, as ferramentas que ele disponibiliza são ótimas para segmentar o seu público. O canal também é ótimo para se comunicar com os clientes/usuários de sua marca.
  • Instagram: o sucesso desse canal é recente, mas atinge em cheio o que os brasileiros amam: imagens. A cada dia que passa, as pessoas têm menos tempo para ler e, sim, elas preferem conteúdos mais ágeis. Sejam apenas fotografias ou vídeos curtos. O Instagram também permite o patrocínio de conteúdo, fazendo com que sua marca alcance mais pessoas em menos tempo.
  • LinkedIn: apesar de não ser uma rede muito badalada, como as já citadas aqui, ela é conhecida como a rede social oficial dos negócios. Nela você encontra desde contratantes, empresas, investidores, novos funcionários e até novos clientes. O conteúdo também é diferente das outras, ou seja, totalmente formal. Você consegue entrar em grupos de debates, recomendações, suporte e análise de estatísticas.
  • Twitter: o mais famoso microblog do mundo permite que você interaja com seus seguidores com mensagens de apenas 140 caracteres. É um ótimo canal para ser usado como SAC, tirar dúvidas e criar relacionamento com seus clientes/usuários. Além disso, você pode incentivar e gerar engajamento por meio dos trending topics que ficam listados na ferramenta. São os assuntos mais comentados do momento e que podem te ajudar na hora de interagir com os seguidores.
  • Google +: a ferramenta pode não parecer atrativa de cara, mas sim, ela tem algumas particularidades que podem ajudar no seu negócio. Ela consegue analisar as visitas, interações, compartilhamentos e +1 recebidos em cada post. Além disso, tem total integração com serviços Google: todas as ferramentas são compatíveis, incluindo serviços como Gmail, Google Docs, GoogleMaps e até mesmo o Youtube.

Escolher uma ou mais de uma rede para expor sua empresa não é uma tarefa simples, leva tempo e precisa de planejamento adequado assim que a rede for escolhida. Porém, elas têm provado seu valor todos os dias e com certeza serão uma alavanca para ajudar no sucesso de seu negócio. Aposte em mídias sociais 😉

*Gabrielle Ramos é jornalista formada desde 2012 na Universidade Nove de Julho, com especialização em Marketing Digital pela E-commerce School e Mídias Sociais pelo Centro Universitário Belas Artes de São Paulo. Com 08 anos de experiência em Assessoria de Imprensa, já atuou na comunicação de empresas de diversos segmentos e atualmente é Coordenadora de Planejamentos Estratégicos e Mídias Sociais na PiaR Comunicação.

 

Crie pesquisas/dados para abastecer sua assessoria

Pesquisas

*Por Juliana Gusmão

Engana-se aquele que acha que o trabalho de assessoria de imprensa gira em torno somente de materiais como pautas, releases e artigos. As pesquisas e envio de dados sobre o mercado de atuação dos clientes são importantes para ajudar a direcionar o trabalho e criar oportunidades nos grandes veículos, como Folha de S. Paulo, UOL, Estadão, Valor, Exame, entre outros.

Alguns clientes, por exemplo, não entendem a importância de ter dados ou de elaborar pesquisas recorrentes sobre assuntos que são interessantes para o seu mercado de atuação. Além de ser uma boa estratégia para aparecer em veículos de grande nome, a empresa torna-se referência, cria endosso e fica cada vez mais em evidência.

Procuramos sempre orientar nossos clientes a nos enviar o máximo de dados possíveis. Dependendo do assunto, a criação de um infográfico pode render entrevistas, ou até mesmo uma matéria bacana. Tivemos aqui na PiaR o exemplo de um cliente que criou um infográfico onde mapeava o número de vagas nas startups nos principais estados do país. Esse material rendeu várias matérias sensacionais, inclusive para televisão.

Para finalizar, acredito que nós assessores precisamos ajudar a educar nosso mercado, mostrando para o cliente o quão eficaz é trabalharmos com pesquisas e pautas ricas em dados. Dessa forma, entregamos um trabalho qualificado para o cliente (que foge do ciclo comum citado acima), e também para o jornalista, que está sempre em busca de novas informações, estatísticas, pesquisas, entre outros dados, para elaborar uma matéria sobre determinado setor ou mercado.

*Juliana Gusmão é jornalista formada desde 2012 pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, com Pós-Graduação em Marketing e Comunicação Publicitária pela Faculdade Cásper Líbero. Com 5 anos de experiência em Assessoria de Imprensa, já atuou na comunicação de empresas de diversos segmentos e atualmente é Coordenadora de Comunicação na PiaR Comunicação.